top of page

Intervenção e criação: Case Durasein US



Designer, criador, criativo, Efrain Velez tocou em tudo. De enormes edifícios complexos a produtos modernos e intuitivos. Seus olhos são constantemente atraídos por desafios criativos que colocam as pessoas e a mudança social em seu centro. Sentamos com Efrain para conversar sobre seu processo e dar vida a essas ideias.


O que te levou a esta profissão?


Tive a sorte de crescer e viver em lugares com identidades visuais e líricas ricas como Porto Rico, Europa, continente norte-americano e atualmente o planeta chamado Texas. Este foi o ponto de partida para a maioria das minhas escolhas de carreira. A alegria de estar ao ar livre, fabricando equipamentos (móveis, iluminação e design de ambientes) e o sentimento de comunidade que vem de estar entre amigos alimenta meu desejo de continuar crescendo minha carreira em Design e Arquitetura. Meu lugar feliz sempre será uma noite ao redor da fogueira com meu violão.


Quando você soube que isso era para você?


Tudo “clicou” quando percebi que o meu interesse pelo Design era mais sobre o ato de intervenção do que a criação e as escolhas que faço para os outros em termos de materiais, função e estética podem afetar positiva ou negativamente o significado e a qualidade de suas experiências. É uma responsabilidade e um propósito que levo muito a sério.


Como você começa um novo projeto?


Meu processo se baseia principalmente em duas coisas: 1.) um diálogo sincero e constante com a fonte do projeto (ou seja, o cliente ou usuário final) e 2.) a integração deliberada de narrativas ricas (vozes – quanto mais fontes, melhor) naquela conversa. Um constrói confiança e o outro permite que a triangulação atinja melhor o alvo. Tecnicamente, resisto ao desejo natural de desenhar o máximo possível escrevendo e imaginando alternativas a qualquer narrativa preconcebida e/ou estabelecida. No início de um projeto, as palavras são mais rápidas para eu manipular do que as formas e o caminho mais rápido para atingir uma meta. Em seguida, testo e manipulo o fluxo para encontrar as palavras que descrevem melhor e claramente a intenção geral. A intenção é crítica para o design, especialmente ao colaborar porque um objetivo claro e comum é obrigatório.


Quem é o melhor no mercado atualmente?


Acredito que quem é o “melhor do jogo” está sempre mudando. Para mim, os “melhores” são aqueles com poder de permanência e aqueles designers ou empresas que buscam, se envolvem e contribuem proativamente para a conversa mais ampla de fazer e construir produtos e ambientes social e ambientalmente responsáveis ​​para o futuro. Manter-me atualizado com esse diálogo cultural contínuo é um compromisso que assumi com minha equipe e clientes.


Você tem experimentado novas formas em sua prática?


Sim, eu e minha equipe estamos trabalhando em uma ampla gama de projetos arquitetônicos e de interiores que nos levam constantemente a experimentar novas maneiras de usar e manipular materiais e técnicas como superfície sólida e fabricação modular. Estou especialmente interessado em utilizar todo o conhecimento, experimentação e eficiência que adquiri ao longo dos anos para projetar e desenvolver uma nova linha de móveis e produtos de iluminação.


Gostou do material e quer conferir a versão original? Acesse: Intervention & Creation








34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page